quarta-feira, novembro 21, 2007

"penso nisso e quase desespero"

Pessoas ansiosas como eu sofrem com a espera de uma situação que está por vir. Desde ontem me vi em um momento de aguardo, e percebi mais uma vez a minha dificuldade em esperar pelas coisas e não poder agir. Numa delas a minha ação realmente não faria diferença, e não me restava nada mais do que aguardar. Na outra a minha ação poderia ter uma consequência que não seria a que eu quero, e por isso resolvi me abster dela.
Hoje as duas respostas vieram, uma foi negativa e outra até posso dizer que positiva. Nesse meio tempo, de espera, pensei bastante nesse meu jeito de ser. Eu já conheço essa minha reação de longa data, nos tempos de criança, a espera era algo insuportável para mim. Sempre fui urgente, sempre quis minhas coisas certas para ontem. E essa urgência muitas vezes me machuca. Dói porque eu não consigo domar a ansiedade e transformá-la em uma espera agradável.
Digo isso porque acredito que exista uma espera que é gostosa, em que a pessoa desfruta com prazer da incógnita. O questionamento, o se, são apenas um detalhe no dia de quem espera. E não se transformam em tudo o que ela tem para vivenciar naquele momento. Ela pode trabalhar, ler, comer e tomar banho sem estar pensando a cada segundo no mote da ansiedade.
Por outro lado me questiono se essa urgência teria um lado bom, positivo. Será que me ajuda em alguma coisa? Ainda não encontrei a resposta. É tão difícil ser livre assim.

Um comentário:

ursinho disse...

sempre sempre sempre meu amor está contigo

saudade. mais ainda.